Só o Senhor é Deus!
 
 

Punição e Redenção

Punição e Redenção

Certo homem cometeu um crime, e foi trazido perante o tribunal. Sentiu-se grandemente encorajado quando notou que o juiz era o seu melhor amigo. O culpado ficou certo de que o juiz “daria um jeito” na lei para ajudá-lo.

O juiz, no entanto, não poderia abusar da justiça. Sentenciou seu amigo a pagar uma multa elevada. O culpado ficou em pé ali, desiludido e não querendo crer no que ouvia, enquanto observava o juiz, que, sem vacilar, levantava-se para deixar a sala do tribunal. Sua dúvida, no entanto, transformou-se em grande alegria quando encontrou o juiz que o esperava sorridente e lhe foi dizendo: “Sei o que está pensando. Mas compreenda que, como juiz, eu não poderia deixar de condená-lo. Agora, como amigo, quero ajudá-lo. Aqui está o dinheiro para que você pague a multa”.

A justiça divina exige a punição, mas o amor divino se manifesta no sangue de Cristo que purifica de todo pecado.

***

Gama- DF - Maio de 1999 INEC Ano I Nº 02