Só o Senhor é Deus!
 
 

O MOVIMENTO ECUMÊNICO Inec

O MOVIMENTO ECUMÊNICO

O Ecumenismo é um dos movimentos que mais vem se destacando atualmente. A primeira pergunta seria, o que é Ecumenismo? Se formos analisar a origem da palavra, veremos que ela vem do grego e que significa “a terra habitada”; onde o homem se une com outros e se organizam, formando comunidades com toda uma estrutura para se viver. A palavra ecumenismo com esse significado, aparece no Novo Testamento em Lucas 4.5, 6; Mt 24.14.

Mas hoje o termo Ecumenismo têm um outro sentido, e em qualquer dicionário pode-se ler que Ecumenismo - é movimento que visa a unificação das igrejas cristãs (católicos, protestantes e ortodoxos)

O principal propósito deste movimento ecumênico, é unir todos os segmentos da igreja, para com isso mostrar a sua cristandade. Talvez a alguns esta idéia pareça ser boa, afinal, devemos ser unidos, não é mesmo? Mas veremos quão perigoso é este movimento, podendo compará-lo a lobos em pele de ovelhas (Mt 7.15), pois este movimento tomou outros rumos, como o apoio da Igreja Católica Romana (I.C.R)

Em 1938 foi fundado o Concílho Mundial de Igrejas (.C.M.I) por iniciativa de alguns protestantes, com o propósito de unir todos os seguimentos do protestantismo.

No concílho de 1962/65 foi exaustivamente tratado a questão dos “irmãos separados” (uma referência aos protestantes) e várias foram as sugestões para tornar a juntá-los em um só rebanho.

O ponto mais alto da questão ecumênica proposto pela I. C.R., foi um fato de duplo aspecto:

1º Que as igreja ortodoxas e protestantes lembre que foram elas que se separaram do catolicismo e que devem retornar à “Igreja-mãe”

2º Que se submetem ao papa de Roma como: “único pastor”

Fica evidente que aceitar a política ecumênica do Vaticano, significa abdicar de muitos séculos de luta contra o domínio católico-romano, a adoração das imagens, a pretensa infabilidade papal e demais práticas pagãs. Não devemos jamais nos esquecer das lutas, do grande esforço dos pais do protestantismo, que um dia se levantaram contra uma igreja que estava tornando-se herética, para que a Palavra de Deus tivesse primazia em nossas vidas, e que o verdadeiro evangelho fosse pregado.

Os católicos-romanos e protestantes que fazem parte do C.M.I., estão se unindo cada vez mais em muitos de seus projetos e atividades. É muito comum, hoje, ouvir acerca de cultos e de outros eventos religiosos, celebrados por sacerdotes católicos e concelebrados por pastores protestantes e vice-versa.

Abraão de Almeida cita no seu livro “Babilônia, ontem e hoje” o seguinte em relação ao ecumenismo. “Essa união com a I.C.R. será uma grande tragédia para a Igreja Protestante, porque, em conseqüência, destruirá o testemunho distintivo do protestantismo. A I.C.R. não modificou sua doutrina desde os dias da reforma no séc. XVII, pelo contrário, tem acrescentado muitas tradições e supertições no seu credo. Portanto, no caso de uma união, a Igreja Protestante será em última instância absorvida em uma Igreja Católica Monolítica”

Hoje podemos ver uma miscigenação de credos bem presentes na nossa cultura, o caso do pagador de promessas já é estória passada, hoje é comum, principalmente na Bahia, vermos missas onde há uma mistura de culto aos santos da igreja católica e aos orixás do candomblé, uma mistura de rituais e credos que antes distantes, hoje se misturam formando um novo estilo. O que antes parecia um absurdo, hoje para muitos é algo natural.

Fica bem claro que este movimento ecumênico é um instrumento usado por Satanás, para criar uma superigreja, que dará suporte espiritual e será o berço do anticristo e do falso profeta.

Portanto, “Acautelai-vos dos falsos profetas que se apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores”(Mt 7.15). Pois “Nem todo aquele que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aqueles que faz a vontade do meu Pai que está nos céus.” (Mt 7.21).

Rosângela N. de Mendonça

Gama- DF - Agosto de 1999 INEC Ano I Nº 05