Só o Senhor é Deus!
 
 

UMA FORMA VIRTUAL DE SE ZOMBAR DE DEUS Inec

UMA FORMA VIRTUAL DE SE ZOMBAR DE DEUS

Na Pág. 60 da revista ISTO É do dia 07/04/99, foi publicado um artigo que apresentava o lançamento de dois recentes jogos para computadores: “REQUIEM E MESSIAH”. Veja as descrições desses jogos:

REQUIEM: O céu passou por uma guerra civil e os anjos caídos vieram a terra com o objetivo de destruir toda a raça humana. Você (aquele que joga) é Malachi, o anjo vingador enviado por Deus para subjugar os renegados.

MESSIAH: Com seus bordéis e gente deformada, Messiah é ainda mais tenebroso do que Requiem, embora trate a religião meio na base da gozação. Seu “messias” poderia muito bem chamar-se Jesus Cristo, não fosse ele um querubim de fraldas de nome Bob. Esse anjinho da nova era tem o poder da possessão e em sua luta contra Satanás vai usando temporariamente os corpos de outros personagens, geralmente ladrões ou cafetões, que depois precisam ser mutilados para evitar a retaliação subsequente.

Veja como que de uma forma sutil e sagaz, este “brinquedo” vai de encontro à Verdade que é a Palavra de Deus. Introduzindo nas mentes daqueles que “brincam”, um falso conhecimento de Deus, onde a injustiça e zombaria é tecnologicamente moldada para os olhos do usuário; porquanto, a função do deus deste século, é cegar os entendimentos dos incrédulos (2 Co 4.4), pois o seu propósito é distanciar ainda mais o homem de Deus e da sua habitação.

No livro Satanismo, publicado pela Editora Vida, Bob Larson fala de um ex-jogador que sentia prazer em matar pessoas no jogo de video-game, pois segundo ele, o mundo virtual lhe concedia poder para realizar os desejos do mundo real. Esse é um dos perigos que tais jogos proporcionam, pois como se imagina na alma, assim é ( Pv 23.7 ). Devido a isto, grande é a necessidade de buscarmos a paz de Deus, para que nossas mentes estejam guardadas em Cristo Jesus (Fp. 4.7) “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, e sim poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus...” (II Co. 10.4.5). Motivo este que nos faz tomar a mesma atitude de Davi: “Não porei coisa injusta diante dos meus olhos” (Sl. 101.3). Pois “o que tapa os ouvidos, para não ouvir falar de homicídios, e fecha os olhos, para não ver o mal, este habitará nas alturas...” ( Is 33.15 b, 16 a ).

Que os criadores desses jogos, e os que consentem com os tais ao ocuparem seus pensamentos com estas invenções, possam meditar no que diz Gl 6.7: “Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará”.

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento ( Fp 4.4 ).

 

Evandro Arruda do Nascimento

Diretor do DEC

 

Gama- DF - Maio de 1999 INEC Ano I Nº 02