Só o Senhor é Deus!
 
 

Estudo

O CULTO ECLESIÁSTICO

INTRODUÇÃO

Sempre que a igreja se reúne, ela o faz com a intenção de cultuar a Deus. Isto é como uma pessoa que se assenta à mesa para alimentar o corpo. O culto é um banquete celestial disponível aos filhos de Deus.

I - O QUE É O CULTO

. Adoração ou homenagem à uma divindade (no nosso caso, Deus)

. Adoração, veneração, reverência e honra ao Criador.

. O culto é um ato de reverência e louvor que a criatura dedica a Deus. É a resposta do homem à revelação divina. É o homem subindo as escadas do altar de Deus. É um dever imposto pela consciência do homem, recomendado pela revelação divina nas Escrituras e é tão antigo como o próprio homem. Nós o encontramos no Éden, com Adão, em seu estado de inocência; na adoração diversificada de Caim e Abel; na vida temente e dedicada de Abraão; no formalismo contestado pelos profetas; nos ensinamentos de Cristo, junto à mulher samaritana, ao afirmar que "a hora vem, e agora é em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem", Jo. 4:23; e em Paulo, ao definir o culto racional, como sendo a apresentação dos nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, Rm. 12:1. O culto:

  • coloca-nos numa relação pessoal com Deus;

  • estabelece uma comunhão com nossos irmãos;

  • instrui-nos em nosso viver diário;

  • concede-nos oportunidade para o exercício dos dons espirituais

  • e provê uma vida mais pura, dedicada e firme.

. O culto cristão deve ser descontraído e alegre, caracterizado pelo fervor, espiritualidade e participação ativa dos crentes, devendo, ainda, fugir às formas rígidas, monótonas e formalistas, bem como a tudo aquilo que impede a manifestação do Espírito Santo. Todos os salvos devem:

  • ser fiéis na adoração verdadeira a Deus;

  • ser assíduos nos cultos;

  • ser pontuais no comparecimento;

  • portar-se de maneira reverente;

  • participar ativamente até o final do serviço e

  • manter o maior respeito no recinto sagrado.

 

. Quanto a duração, o pastor ou dirigente deve ter o cuidado para que o culto não seja excessivamente prolongado, dividindo o tempo harmoniosamente entre várias partes.

. É a ordem do culto que visa dar seqüência tópica, bem como desenvolvê-lo de forma organizada. O exemplo que damos aqui é apenas para que os irmãos se guiem. No entanto, cada um deve organizar o seu culto na direção do Espírito Santo e com oração fervorosa.

II - O CULTO DEVE SER DIRIGIDO A DEUS

. Deus é o objeto do nosso culto. Qualquer outra coisa que tenhamos em mente ou na intenção quando nos reunirmos, será objeto de idolatria. Todo culto, não importa o nome que leva: culto de mocidade, culto de senhores, culto de missões, etc., deve-se ter em mente que Deus é o único alvo.

Nunca podemos esquecer que quando nos reunimos Deus está em nosso meio (Mt 18.20). Três itens importantes que devem estar presentes em todo culto: (Is. 6.1-9)

  1. Adoração – (v. 1-3

  2. Confissão – (v. 4-7)

  3. Serviço – (v. 8-9)

III – O CULTO DEVE TER OS SEGUINTES OBJETIVOS

. Todo culto deve ter objetivos. Ele não é um passatempo.

Observando os textos de (I Cor. 14.26 e Col. 3.16), extraímos quatro objetivos:

  1. Ensino – "A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda sabedoria, ensinando-vos. "

  2. . Sempre aprendemos alguma coisa importante para nosso crescimento e amadurecimento. Seja pelos dons espirituais, pela letra dos hinos, pela pregação, pelos testemunhos, etc.

     

  3. Admoestação – "…admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais. "

  4. . A palavra admoestar quer dizer : advertir de faltas; repreender; lembrar; avisar.

    Podemos notar que a música tem seu papel preponderante nos cultos. Daí a necessidade de que o dirigente do culto faça com cuidado a relação dos hinos que serão cantados. Existem, em nossos dias, hinos que não têm absolutamente nada de mensagem bíblica. Neste caso não poderá haver admoestação.

     

  5. Louvor – "…cantando ao Senhor com graça em vosso coração. "

  6. . Todo culto verdadeiro oferece louvor a Deus. O homem é peça fundamental na realização do culto, no entanto, é Deus o centro das atenções, o alvo do culto. Pregadores, cantores famosos, devem procurar algum programa de televisão para se apresentarem, porque o único digno de toda honra, glória e poder é Cristo Jesus nosso Senhor. (Ap. 15.12-14)

     

  7. Edificação – " Que fareis, pois, irmãos ? Quando vos ajuntais, cada um de vos tem salmo, tem doutrina, tem revelação, tem língua, tem interpretação. Faça-se tudo para edificação. " ( I Cor. 14.26 )

. A edificação é o objetivo maior na realização dos nossos cultos. Se uma igreja não está crescendo e amadurecendo, seus cultos precisam ser revistos. Há alguma falha nas pregações ou nos testemunhos. Os hinos não são espirituais. Pode ser que a igreja não esteja participando devidamente, neste caso, o dirigente está centralizando o culto em torno de si mesmo. Os cultos devem ser realizados com a cooperação de toda a igreja e não apenas por um grupo, enquanto os outros ficam "assistindo".

IV - O QUE É LITURGIA?

Para um melhor entendimento, a liturgia do culto se divide assim:

 

1. Oração (Prelúdio)

. A oração é de grande importância na vida cristã, pois é através dela que podemos entrar em comunhão com Deus. Não devemos entender que a oração seja um conglomerado de palavras em que somente pedimos alguma coisa a Deus. Oração é comunhão com Deus. Vista por esse prisma, a oração é de importância vital no culto público, podendo-se mesmo afirmar que não há verdadeiro culto sem oração.

 

. A oração no culto deve ter vários objetivos:

  • louvor e ação de graças - Salmo. 19; 40 e Fil. 4:6

  • confissão - Mt. 6:12; I Jo. 1:8-9 e Tg. 5:16

  • em nosso próprio favor - I Ts. 5:1

  • intercessória - I Tm. 2:1; Jó. 42:10; Tg. 5:16; I Sm. 12.23

2. Leitura da Palavra de Deus

. A Bíblia é o registro da revelação divina e nossa única regra de fé e pratica, segue-se que a leitura é obrigatória, uma das partes do culto. A leitura da palavra de Deus deve merecer de nossa parte a máxima atenção e reverência, pois, deve-se levar em conta o fato de que, quando a ouvimos, o próprio Deus é quem fala aos nossos corações (Ne. 8.2-5)

  1. Louvor e adoração

. O que é louvor? Exaltar, glorificar, bendizer a nosso Deus. 1 Cr. 29.20 e Cl.3.16

. O que é adoração? veneração elevada que se presta a Deus, reconhecendo-lhe a soberania sobre o universo, o governo moral e a força dos seus decretos é a manifestação da gratidão por suas bênçãos e proteção.

. O louvor e a adoração é uma das partes constitutivas do culto coletivo. Sem verdadeira adoração e louvor a Deus, não há verdadeiro culto. (Sl 98.1; 104.4; 150).

 

4. Devocional (ofertório)

. Coleta (dízimos e ofertas) - Lc. 21.1-4; II Co 9.1-15; I Cor.16.1-4; Rm.15.26 e Hb.7

. Finalidade: A Obra de Deus e a promoção do Evangelho.

 

5. Apresentação dos visitantes

. Apresentar sempre pelo nome e nunca pelo apelido.

. A autoridade deve ser apresentada, e mencionado o cargo público que exerce.

. Nada de elogios ou agradecimentos. O personagem mais importante do culto é o Senhor Jesus e não o visitante.

 

6. Testemunho

. Não devemos procurar pessoas para testemunhar na igreja. Devemos tomar cuidado com os testemunhos. Não sair atrás de irmão que tem testemunho disso ou daquilo (arrebatamento e outros) Testemunho estranho.

 

7. Mensagem

. Quais os motivos que levam você a convidar um irmão para ir a igreja pregar? Ele é o tipo que pula, corre, dança, grita, chora, dá murro no púlpito?

. LEMBRE-SE: A pregação da Palavra de Deus deve ser oferecida como verdade ímpar, sem igual, exigindo uma dedicação total e sem reservas - I Cor. 15.11; Gl 1.8-9; I Co 15.1; I Ts 2.13. A razão da necessidade imperiosa da pregação e do ensino da Palavra de Deus está em – At 4.12 e II Co 11.4.

. A preocupação e o zelo na pregação e no ensino da Palavra de Deus deve ser central e determinante. Esta é uma herança que recebemos do Senhor Jesus e da igreja apostólica. (Lc 4.16-17; At 13.14-48; At 14.1; At 17.1; At 19.8 e Rm. 1.16).

Qual é o tempo para uma boa pregação? 35 a 40 minutos. A fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus. (Rm 10.17)

 

8. Apelo ou convite (salvação, reconciliação, desafio)

. Nunca devemos fazer apelo ameaçando as pessoas.

. Na hora do apelo a igreja deve ficar em oração silenciosa.

V - COMO CELEBRAR O OFÍCIO RELIGIOSO

 

1. Como apresentar um recém-nascido

. Geralmente, no final do culto, o ministrante anuncia a apresentação convidando o pai e a mãe a trazer o bebê à frente (chamando os pais pelo nome e nunca por apelido). O ministrante convida a igreja a se colocar de pé e abrindo a Bíblia Sagrada, fará a leitura de texto apropriado (sugestão: Lc.2.22). Depois tomará dos braços da mãe a criança; pronunciará o nome da criança corretamente e em voz audível, para que toda a igreja ouça. Erguendo a criança a altura dos ombros, fará uma ligeira oração. É importante salientar nesta ocasião que a apresentação não é o batismo da criança.

  1. Aniversário Natalício

Há uma diferença acentuada entre o aniversário de uma criança e o aniversário de um adulto, pois este já exige outra maneira de conduzir e administra-lo.

Em todo o aniversário deve haver uma celebração da Palavra de Deus. Deverá haver cânticos apropriados, poesias, sermões. O aniversariante tendo condições deve também fazer uso da palavra, pois o culto é uma oportunidade para disseminação do evangelho.

O ministro nunca deve manifestar exigindo que se faça isto, não se faça aquilo, nessas ocasiões. Alguma parte exagerada, por acaso, será corrigida oportunamente.

 

3. Cerimônia de 15 anos

Uma cerimônia destas deve ser feita com muita simplicidade. Uma leitura bíblica, mais ou menos, adequada a este ato, os cânticos que forem possíveis, finalmente, a oração pela homenageada que geralmente deve se apresentar de pé. Nunca exija que ela se ajoelhe, para se evitar constrangimentos, como desalinho de roupas, etc.

É bom lembrar que a cerimônia ainda não esta de tudo encerrada, prosseguindo a parte social, a recepção na casa dos pais ou onde quer que seja.

O ministrante nunca deve deixar de comparecer a estas recepções, salvo em circunstâncias especiais de notório conhecimento de todos.

 

4. Cerimônia de Casamento

O casamento pode ser celebrado a qualquer dia, em qualquer local e em qualquer horário, desde que seu processamento tenha ocorrido em cartório e que os prazos legais tenham sido cumpridos.

 

5. Cerimônia Fúnebre

O oficiante de uma cerimônia fúnebre deve comporta-se com a máxima discrição em todos os sentidos: Na maneira de vestir-se, na escolha do texto bíblico, na escolha dos hinos, na entonação da voz e na maneira de conduzir os trabalhos.

O traje é importante, por isso, o ministrante deve usar terno escuro, gravata escura e camisa branca. Nada de colorido.

É bom perguntar aos enlutados se deve ou não cantar hinos no decorrer da cerimônia. Escolha hinos apropriados ao velório: Ressurreição, vida e descanso eterno.

O ministrante fará uma leitura bíblica. Uma ligeira palavra de conforto aos vivos e não aos mortos. Faça a oração. Nunca esquecendo que o horário do sepultamento é improrrogável.

O ministro nunca deverá, após o sepultamento, provocar sensacionalismo na igreja, falando sempre no irmão que fora chamado para a glória.

 

Natanael Nogueira de Sousa e Kleber Paulo Santana

Esta é uma página de estudos exclusivos em nossa igreja sede. Esta exclusividade também é sua, alimente-se da palavra de Deus