Só o Senhor é Deus!
 
 

Estudo

 

LIDERANÇA ESPIRITUAL

A Necessidade de um Líder

Deus inicia seu programa, não com uma organização, mas com um homem.

"Busquei dentre eles um homem que estivesse tapando o muro, e estivesse na brecha perante mim por esta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei". (Ezequiel 22.30)

"Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João". (João 1.6)

"Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui envia-me a mim". (Isaias 6.8)

O Estilo de Liderança de Jesus

Atitude de Jesus - Filipenses 2.5-11
1. Cristo renunciou à sua dignidade pessoal!
2. Cristo assumiu o papel de servo!
3. Cristo se tornou homem!
4. Cristo se humilhou como homem!
5. Cristo obedeceu até à crucificação!

O Ensino de Jesus Sobre a Liderança - Marcos 10:42-45
Duas lições que Jesus ensinou seus discípulos:
1. Há uma soberania na liderança espiritual. O ministério liderança espiritual é soberanamente conferido por Deus.
2.            Há sofrimento envolvido na liderança espiritual. Há um elevado preço a ser pago por um ministério espiritual de grande influência - preço que não pode ser pago de uma só vez. A lição fundamental é que a grandeza só vem mediante a servitude, e o primeiro lugar em liderança é obtido apenas mediante a pessoa tornar-se servo de todos.
Alguns Pensamentos Sobre a Liderança Espiritual
Cada crente é um ministro, um crente-sacerdote, que tem um papel de serviço ativo no Corpo (não passivo, de ser servido).
Não há diferença essencial entre o "Èþ­fstério" de um pastor ou de outro líder da igreja e o ministério (serviço) executado por um crente-sacerdote. Cada um usa seu dom espiritual, recebido de Deus, para edificar outros no Corpo.
A tarefa específica dos líderes é "servir" os membros do Corpo, e equipar outros para o ministério através do seu serviço (compare com Efésios 4.12).
A liderança espiritual deve funcionar de maneira diferente no Corpo em relação a liderança exercida na sociedade. Há diferença entre o Corpo como organismo vivo e a sociedade como associação de indivíduos.
Os líderes espirituais, servindo "entre" o Corpo, dão um exemplo, que o Espírito Santo usa (através dos processos de educação - identificar e imitar) para ajudar outros crentes-sacerdotes a ficar mais e mais parecidos com eles.
O líder espiritual que ministra assim não precisa se preocupar com sua "autoridade". Deus abrirá corações no Corpo que os siga. (l Pedro 5.5)
O que é a liderança?
A liderança é o esforço de exercer conscientemente uma influência especial dentro de um grupo no sentido de levá-lo a atingir metas de permanente benefício que atendam as necessidades reais do grupo.
Há três tipos de Obreiros
1. INDIFERENTE - Os que não sabem o que está acontecendo.
2. PASSIVO - Os que observam os acontecimentos.
3. LÍDER - Os que fazem com que as coisas aconteçam.

VI - 12 Princípios de Liderança
Visão __________________________ Metas
Amor ______________________ Humildade
Autocontrole ______________ Comunicação
Investimento _______________ Oportunidade
Energia _____________________ Persistência
Autoridade ________________ Conscientização
O tamanho do grupo não define a qualidade da liderança. O exemplo máximo de liderança temos em Jesus. Seu grupo era constituído por doze, incluindo um que duvidou outro que negou conhecê-lo e ainda outro que o traiu entregando-o aos assassinos. No entanto, com este pequeno grupo, ele mudou o mundo.

I. O Princípio da Visão – João 4.35
Toda liderança eficiente começa com uma visão adequada. Deus é o único que pode dar esta visão aos seus servos. Devemos pedir sinceramente ao Senhor: "Desvenda os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei". – Salmo 119.18
Uma visão é uma imagem clara de algo que o líder quer que seu grupo seja ou faça! A visão é a revelação da vontade de Deus; é o fundamento da liderança.

A.           O princípio da visão é a chave para se entender a liderança. Se uma pessoa tiver uma visão clara, à qual está sinceramente dedicada, já deu o primeiro passo rumo à liderança.
B.            Uma missão é simplesmente uma visão levada à ação.
C.            Qualquer visão de valor vem de Deus. As visões de valor são um dom de Deus.
D.           Sem uma entusiástica dedicação a uma visão, ninguém pode ser um bom líder.
E.            É a visão que dá base e sustentação a todo ato de liderança. Sem visão não pode haver uma missão adequada. Sem missão, não há possibilidade de um produtivo programa de metas. Sem o programa de metas não há liderança. A liderança começa com uma visão.
F.            Não só o líder, mas também os seus seguidores devem assimilar a visão. A liderança recebe a revelação da vontade de Deus e transmite, com clareza, para o grupo e então motiva-o a pô-la em prática.
Uma visão dada por Deus é uma responsabilidade tremenda. Cumpri-la pode levar-nos a realizar uma fabulosa obra para a glória de Deus e para o bem de nossos semelhantes. Se não agirmos de acordo com a visão, estaremos privando a outros da liderança de que precisam. Vejamos alguns exemplos:
1. O líder desprovido de visão – Marcos 10. 46-52.
O texto que vamos estudar, está falando de visão física, mas a cura dos olhos físicos do cego dependeu da fé salvadora. Pelo que podemos deduzir que Jesus não está preocupado somente com os olhos físicos do cego e sim com a visão completa. Vejamos então o que acontece com o líder sem visão:
a) Está à margem- "junto do caminho".
O líder desprovido de visão procura se envolver na obra, mas seu ministério acaba marginalizado. Exatamente por não ver é que ele prejudica seus liderados, tolhendo a liberdade daqueles que tentam desenvolver algum trabalho, resultado da visão recebida de Deus.
b) Seu ministério é pobre - "mendigando". (Ap. 3.17,18)
Seu ensino não produz mudanças, sua pregação não produz salvação. Sua igreja não cresce e nada acontece de especial no seu ministério.
Ele é pobre espiritualmente e intelectualmente. Vive amparado por "muletas". (sermões alheios). Não sabe aconselhar, treinar, liderar, etc.

c) É digno de misericórdia - "tem misericórdia de mim".
Em alguns casos, a situação é pior porque ele não aceita ajuda. Seu orgulho não o deixa convencer-se de que é um necessitado.

d) É hipócrita- "lançando de si a sua capa". (Mt. 7. 3-5)
Este é o estágio mais degradante, quando começa a fingir. Finge que é espiritual, finge que é homem de oração, simula santidade. Para salvar o seu ministério será necessário tirar sua capa da hipocrisia.

2. O líder e os tipos de visão – Mc. 8-22.26
Aqui nós temos três tipos de visão:

a) Visão Bloqueada
Está impossibilitado de ver por causa da incredulidade. Veja que Betsaida é uma das três cidades repreendidas por Jesus por causa de incredulidade (Mt. 11.20-24). Provavelmente foi este o motivo que levou Jesus a conduzir o cego para fora da aldeia antes de curá-lo.
Líderes acometidos desta anomalia, terão que mudar seus conceitos, sua crença e sua vida. (Jo. 3)

b) Visão Parcial ou Distorcida
É o ministro que vê mais ou menos. Mas está sempre equivocado. Acha que é, mas não tem certeza de nada. Ele é pouco convicto no que faz.
A pergunta de Cristo foi relativa: "vês alguma coisa? ". Ele não perguntou: vês tudo! E a resposta do homem foi: "vejo os homens, pois os vejo como árvores que andam". Esta é uma visão distorcida, os homens não se parecem com árvores e nem as árvores se locomovem.

c) Visão Nítida
 Jesus desconfiou quanto ao que o homem via e fez nova imposição de mãos, então o cego passou a ver tudo:

Viu ao longe – Como a visão do Pai que enxergou seu filho pródigo quando ainda estava longe.
Viu distintamente – Ele conseguiu distinguir os homens das árvores.
Via a todos – Visão plena. Visão completa.

O líder para desempenhar a obra eficazmente precisa de uma visão assim:
Vê ao longe - Antes que a igreja precise de ajuda ele já detectou o problema, a benção, a obra, etc.

Vê mesmo antes que alguém lhe procure: O necessitado, a ovelha cambaleante, o desviado que volta, etc.

Vê distintamente - Ele sabe detectar quando o diabo está operando e quando Deus é o realizador dos milagres. Sabe distinguir a obra espiritual da obra da carne. Sabe distinguir possessão demoníaca de doença mental.

Vê a todos - Ele tem percepção completa. É conselheiro, é evangelista, é missionário, é líder no lar, etc.

3. O líder com a visão de Deus – Mc. 6.34, At. 26.19

a) Vê a multidão - "Viu uma grande multidão" . (Mt. 9.37)
O líder com a visão de Deus, consegue sempre ver grandes coisas, uma grande obra (Ne. 6.3). Ele faz grandes planos. Não se contenta com migalhas ( Mc. 7.28)

b) Vê suas necessidades –"teve compaixão deles, porque eram como ovelhas que não tem pastor". (Ne. 1.1-4)
O líder deve ver a necessidade da igreja. Ele tem os olhos aguçados. É piedoso, misericordioso e justo (Sl. 112.4). Sempre tem o que dar (Mc. 6.37)

c) Vê suas possibilidades –"começou a ensinar-lhes, muitas coisas".
Acredita, mesmo no caído. Investe na evangelização porque acredita que Jesus Cristo ainda salva. Ensina a palavra de Deus a igreja porque acredita que nela há poder transformador. É homem de oração porque crê que ela remove montanhas.

Conclusão
Busquemos em Deus a visão correta. A visão de Cristo, que viu o mundo necessitado e morreu por ele.
É imprescindível uma visão correta para uma liderança correta e eficaz.

II. O Princípio do Estabelecimento de Metas
A visão é o fundamento de toda liderança. A visão do líder exige total dedicação à ação. Essa dedicação é chamada de missão. Mas o ponto realmente crítico é o estabelecimento de uma série de passos específicos e mensuráveis, com o objetivo de realizar a missão. Esses passos se chamam METAS.

A.           A visão é importante, mas a visão nunca se tornará realidade a menos que se estabeleça um programa de metas e que ele seja fielmente cumprido.
B.            Um bom programa para estabelecer metas deverá ter as seguintes
características: específico, mensurável, atingível, realístico e tangível.

C.            Além de fazer metas específicas, mensuráveis, atingíveis, realistas e tangíveis, existem outros princípios que são úteis:
Devemos basear nossas metas em nossos próprios atos, em vez de fazê-lo em atos que esperamos dos outros.

Deixemos nossa mente elevar-se.
Escrevamos nossas metas em detalhe.
Exponhamos nossas metas positivamente.
Certifiquemo-nos de que as metas implicam em mudanças de comportamento.
Estabelecer metas próprias.

D.           As metas mudam porque mudam as condições. Nossa visão e missão de vida permanecem sempre as mesmas. Alteramos as metas de acordo com a mudança dos tempos.

E.            Se não tivermos um programa de metas, certos fatores e outras pessoas tomarão o controle de nossa vida, quer o queiramos ou não. Se não assumirmos o controle, alguém o fará - ou alguma outra coisa. Tendo metas específicas com padrões mensuráveis nos manteremos na mira para a consecução da nossa missão.

F.            O estabelecimento de metas é uma disciplina contínua. Não se pode elaborá-las de uma vez por todas, e pronto. A constante aceleração das mudanças em pessoas, lugares e coisas que se verifica hoje exigem que tenhamos um programa de metas claramente definido.

"Define claramente o que você quer mais que qualquer outra coisa na vida; registre os meios pelos quais pretende consegui-lo e não permita que nada, seja lá o que for, o impeça de alcançar essa meta."

Benefícios do Estabelecimento de Metas

1.            As metas simplificam o processo de tomar decisões.

2.            O estabelecimento de metas fortalece a saúde mental como a saúde física.

3.            As metas geram respeito.

4.            As metas constituem um sistema de aferição de modo que podemos experimentar a sensação de realização.

5.            As metas produzem persistência.

6.            Abaixo de Deus, são as metas que impedem que o líder fique escravizado aos aplausos dos outros.

O Medo de estabelecer metas

1. O medo de criar metas imperfeitas

2. O medo de derrota

3. O medo do ridículo

4. O medo de considerar presunção o estabelecimento de metas.

III. O Princípio do Amor:

No retrato sinóptico o traço que sobressai com maior clareza é o amor de Jesus. Ele não só nos mandou amar, mas primeiro Ele próprio o praticou. Não é meramente seu pensamento, mas sua vontade, e não meramente sua vontade, mas, acima de tudo, sua ação.

A.           O amor é a transferência da totalidade do ser de alguém a outrem na forma de beneficência e auxílio. O amor na forma aqui usada se refere a uma disposição da mente, um ato da vontade. Não é o exercício de emoções.

B.            O comandante governa pelo medo; o líder guia por amor. A visão distingue um líder de um gerente. O amor distingue o verdadeiro líder do ditador. A maior parte dos chamados líderes hoje, tanto dentro como fora da igreja, não são verdadeiros líderes, mas detentores do poder.

"Alexandre, César, Carlos Magno e eu fundamos grandes impérios mas, sobre que fundamento criaram os nossos gênios? Sobre a força. Somente Jesus fundou seu império sobre o amor, e até o dia de hoje. milhões morreriam por ele." - Napoleão Bonaparte.

C             O amor ágape é divino. A palavra ágape é um termo essencialmente cristão, aureolado com uma glória que Deus lhe deu. Ele usou para expressar sua própria atitude para com todos os homens e mulheres. O amor verdadeiro envolve a totalidade da existência de uma pessoa. Deus, e somente Ele, expressa perfeitamente. Ele se deu totalmente.

D.           O amor se ocupa de problemas reais. Ele não procura satisfazer necessidades que, embora aparentes, não são reais. E o líder sabe quais são os problemas reais do grupo porque ama as pessoas que o constituem. E seu amor é real, não uma imitação interesseira.

E.            O amor é ativo. Requer expressão. Jamais é passivo. O amor é transitivo. Requer um objeto. O amor é serviço, é sacrifício.

F.            Não há desculpa para uma liderança sem amor. O líder que se espelha em Cristo ama a Deus, a si mesmo e ao seu próximo. É emocionalmente são porque é espiritualmente sadio.

G.           Amar a Deus - Todo líder deve viver de tal maneira que jamais deixe dúvida na mente de qualquer um sobre quem é seu Deus. O amor para com Deus deve ser exclusivo, "de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento." Jesus está dizendo: "Seu amor para com Deus deve ser concentrado e exclusivo, insuperável e absorvente. Você deve amar a Deus com sua inteligência, emoções e vontade - com a totalidade da sua personalidade."

Amar a si próprio - Amar a Deus com a totalidade de nossa personalidade e aceitar o amor que Ele tem por nós, é a base para nos amarmos a nós próprios. Deus quer que tenhamos um amor-próprio sadio. Ele quer que nos amemos a nós mesmos. Um amor-próprio sadio é essencial a uma boa liderança.

Amar a nós mesmos é a base para amarmos ao próximo, porque um amor-próprio sadio nos livra de gastarmos energias alimentando nossa autoconfiança por meio de artimanhas e destruição de outros. Isso nos permite dar de nós mesmos a outros liberalmente.

IV. O Princípio da Humildade:

"A humildade é o senso de incapacidade que permeia a consciência do líder quando ele contempla a santa majestade e o, superabundante amor de Deus em contraste com sua desvalia a culpa e a total inaptidão, se separado da graça divina."

A.           A humildade - ou mansidão - é a expressão do amor.

B.            A pessoa humilde está livre do orgulho ou da arrogância. Submete-se aos outros e é prestativa e cortês. O humilde não se considera auto-suficiente, todavia reconhece seus próprios dons, recursos e realizações. Sabe que foi objeto de um amor redentor, que não merecia. Portanto não pode confiar em si mesmo porque sabe que é "tudo de graça".

C.            Não pode haver amor genuíno sem humildade.

D.           Conquanto seja difícil para a maior parte das pessoas demonstrar humildade, para um líder isso é ainda mais difícil porque liderar não favorece a humildade.

E.            O espírito de humildade libera o líder para que possa concentrar-se nas reais necessidades dos outros. A humildade é importante para o líder porque as pessoas seguem mais entusiasticamente aquele cuja motivação não é servir-se a si mesmo.

"Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo." (Colossenses 3.23-24)

F.            como cultivar a humildade?

Entronizando a Cristo no coração.

Obedecendo a Cristo.

Assumindo a atitude e o comportamento de uma criancinha.

Seguindo o exemplo de Cristo em oração.

Seguindo o exemplo de Cristo nas relações pessoais.

Servindo aos outros.

G.           A verdadeira liderança surge quando alguém quer ver o trabalho realizado, sem se importar com quem vai receber os créditos.

H. O verdadeiro líder se considera parte de uma equipe.

O líder cristão deverá seguir esses cinco caminhos se quiser cultivar humildade em todas as áreas de sua vida:

1.            Na área social, deverá agir dentro do pensamento "preferindo-vos em honra uns aos outros". (Romanos 12.l0)

2.            Na área intelectual, deverá subordinar sua mente à de Cristo de modo a que ela possa render o máximo, ao servir a outros.

3.            Na área financeira, deverá investir seu dinheiro, contando com Deus para multiplicá-lo, assim como o Senhor multiplicou os pães e peixes a fim de alimentar a multidão.

4.            Na área física, deverá observar, com humildade, as leis da saúde de maneira que possa servir mais eficientemente àqueles que Deus lhe confiou.

5.            Na área familiar, deverá demonstrar humildade em seu relacionamento com a esposa, e se conduzirá de maneira a não provocar seus filhos à ira (Efésios 6.4).

V. O Princípio do Autocontrole:

O autocontrole é o domínio do amor. É um modo de vida no qual, pelo poder do Espírito Santo, o crente é capaz de ser equilibrado em tudo porque não deixa seus desejos dominarem sua vida.

A.           Significa que todos os aspectos de sua vida são colocados sob o domínio do Espírito Santo. Isso quer dizer que sua vida é caracterizada pela disciplina.

B.            O autocontrole é uma atitude essencial para o líder.

C.            O próprio sucesso dificulta a prática do autocontrole.

D.           A falta de autocontrole destrói a liderança.

E.            O autocontrole nos dá coragem para posicionarmos sozinhos, acima do grupo.

F.            O autocontrole conquista seguidores para o líder.

G.           Em nossa cultura temos a tendência de pensar que gentil, humilde e manso são sinônimos de fraqueza. Mas essas qualidades podem, na verdade, indicar mais força de caráter e autocontrole do que a "força" que impulsiona alguns a açoitar verbalmente seus adversários ou discutir com demasiada agressividade.

H.           O autocontrole produz, em qualquer pessoa, resultados que farão dela um candidato à liderança.

1.            O que o autocontrole produz:

- Liberdade - O autocontrole é o modo prático com que Deus liberta-nos do domínio do pecado e dos pensamentos pecaminosos.

- Confiança - O autocontrole produz a confiança e a certeza de que somos capazes de exercer liderança.

- Alegria - A alegria vem do conhecimento de que estamos obedecendo à vontade de Deus.

- Estabilidade - Uma vida disciplinada não significa que não haverá mudanças, mas, sim, que elas terão um propósito certo e serão controladas.

- Liderança - O autocontrole produz liberdade, confiança, alegria e estabilidade. Essas qualidades colocam quem as possui em posição de liderança.

Como Desenvolver e Exercitar o Autocontrole pela dependência de Deus:

Com uma vida de disciplina.

Tomando decisões antecipadamente.

Sendo gratos pela adversidade.

Dominando nosso gênio.

Controlando os pensamentos.

Submetendo-se ao controle do Espírito.

VI. O Princípio da Comunicação:

A liderança começa com uma visão. O comprometimento com aquela visão é uma missão, que é, então, cumprida pelo estabelecimento de certas metas. Mas, o líder não faz isso sozinho. Sua tarefa é comunicar a visão, a missão e as metas aos seus seguidores, tudo com amor e humildade.

A.           A comunicação ocorre quando uma mensagem é transmitida de uma pessoa a outra, e ambas compreendam a mensagem, aproximadamente do mesmo modo. A eficiência da comunicação será dada pelo conteúdo percebido e pelo efeito real não pelo seu conteúdo pretendido, por mais eloqüente que a transmissão dele tenha sido, nem pelo efeito pretendido, por mais puras e nobres que sejam suas intenções.

B.            Uma boa comunicação é a base sólida que mantém unido um grupo.

C.            Passar informação não é comunicar. As pessoas respondem mais ao que nós sentimos por elas do que ao que lhes dizemos realmente. Por isso, cabe ao líder avaliar a profundidade de aceitação que o grupo tem de sua pessoa. Quanto mais o grupo aceita o líder e o líder ao grupo, melhor será o nível de comunicação.

Como Comunicar-se Com Um Grupo

Estabeleça a importância de cada membro, no grupo, com o qual você deseja comunicar-se.

Não reflita atitudes de superioridade sobre o grupo (em sua maneira de falar, onde você se senta, como você se veste ou como os saúda).

Mantenha contato ocular com cada membro do grupo, sempre que possível.

Aprenda a usar os pronomes plurais "nós" e "nosso", em lugar dos pronomes singulares "eu" e "meu"

Faça perguntas aos membros do grupo, indicando assim que você precisa de sua ajuda e apoio.

Dê aos membros do grupo a liberdade de exprimirem idéias e opiniões diferentes.

Aprenda a admitir seus erros na presença do grupo, pedindo desculpas sinceras, quando as coisas saírem erradas ou não saírem como você estava esperando.

Nunca culpe o grupo pelo fracasso da organização.

Chame as pessoas por seus primeiros nomes.

Comece e termine com uma oração.

VII. O Princípio do Investimento:

0 princípio do investimento estabelece que se alguém investe ou, dá alguma coisa, ele receberá de volta multiplicado.

A.           Dar é um investimento. A palavra investimento transmite a idéia de aumento nas reservas financeiras do investidor. Portanto, a motivação para dar (ou investir) baseia-se em interesse pessoal, e é não apenas elogiada por Jesus, mas também a única que Ele usou nas Escrituras.

"Dai e dar-se-vos-á boa medida, recalcada, sacudida, trasbordante, generosamente vos darão, porque com a medida com que tiverdes medido vos medirão também" (Lucas 6.38)

O que é que você quer? Semeie-o. Invista-o. Quer amigos? Invista em amizade. Quer amor? Invista em amor. Quer respeito? Invista respeitando os outros.

"Aquilo que o homem semear, isso também ceifará"(Gálatas 6.7).

C.            A questão toda não é apenas receber de volta o que investimos, mas também de recebê-lo de acordo com o quanto investimos.

"Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; e o que semeia com abundância, com abundância também ceifará" (2 Coríntios 9.6).

D.           Como líderes, cabe a nós compreender e praticar o princípio do investimento. Se nossa liderança for motivada pelo amor, pela humildade e autodisciplina, colheremos amor, lealdade e devoção de nossos liderados.

"Como quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles" (Lucas 6.31).

E.            O verdadeiro líder dá com generosidade. A generosidade é dar de si sem esperar retorno. Os líderes generosos não se contentam em ajudar apenas a um e a outro. Eles tentam beneficiar maior número de pessoas. Animam, incentivam. Querem que os outros tenham sucesso. Generosidade não significa apenas dar dinheiro. O líder que compreende o conceito do amor de Jesus sabe que pode dar a si mesmo muitas vezes, de maneira que supera a oferta de coisas materiais.

"De graça recebestes, de graça daí" (Mateus 10.8).

F.            O princípio apresentado aqui é o de que nunca se perde quando se dá. Com isso só pode ganhar. A proporção que o líder se dá, produz melhores auxiliares, cria melhores relacionamentos.

"mais bem-aventurada coisa é dar do que receber" (Atos 20.35).

G.           Para conhecer a fundo o significado do investimento, precisamos conscientizar-nos de como é importante o espírito de dar, de querer ajudar outros. Isso torna a prática do princípio de investimento um hábito natural. Mas nesse aspecto há dois tipos de pessoas no mundo: os investidores e os retentores. Por natureza, os investidores praticam o princípio do investimento; os retentores são os que não vêem a contribuirão como um investimento e, assim, tentam entesourar tudo o que possuem. Em última análise, os investidores lucram e os retentores perdem.

O princípio do investimento é como todos os dons de Deus. O dom é bom, mas, se utilizarmos o princípio do investimento para obtermos grande quantidade de algo que se tornou um "deus" para nós, ou que é nocivo, estaremos aplicando erroneamente.

I.             Jesus nos advertiu contra a ansiedade e a ganância a preocupação de que não tenhamos o suficiente para as necessidades básicas da vida, e o desejo de possuir sempre mais e mais.

J.             O líder ganancioso ou ansioso acabará destruindo-se!

OS DEZ MANDAMENTOS DO INVESTIMENTO

Reconhecer que Deus é provedor de tudo.

Focalizar a atenção às coisas que queremos na medida em que elas forem compatíveis com a vontade de Deus e esquecer as que não queremos.

Investir naquilo que desejamos obter.

Investir no objeto imediato

Ser paciente

Não desanimar por ocasional falha da colheita

Colocar o dinheiro onde queremos que o nosso coração esteja

Alegrar-se

Crer que haverá resultados

Glorificar a Deus.

VIII. O Princípio da Oportunidade:

Segundo o princípio da oportunidade, a vida é uma série de obstáculos, e são esses obstáculos que detêm a chave que abre as portas de nossas maiores oportunidades, bastando apenas que nos disciplinemos para enxergá-las em toda parte.

A.           Nossas maiores oportunidades nos aparecem habilmente disfarçadas em problemas insuperáveis.

B.            Todo revés traz dentro de si a semente de um avanço equivalente. Cabe a nós apenas procurá-lo.

C.            Encarar os erros contribui de forma positiva para uma boa liderança, porque remove o paralisante temor de cometer erros. O líder sabe que cometerá erros, mas sabe também que pode fazer com que eles se transformem em benefícios para ele e para o grupo. Para pormos em prática o princípio da oportunidade, precisamos aprender a encarar os enganos, a agüentar os erros e a tirar proveito deles.

D.           Os obstáculos existem e Deus não promete que sempre nos livrará deles. Entretanto, ele nos ajudará a converter os erros em bênçãos. Pela sua força todo obstáculo pode ser uma oportunidade.

APRENDENDO A MANEJAR OS ERROS E TIRAR PROVEITO DELES

Admitir o erro no momento em que tomarmos conhecimento dele

Assumir a responsabilidade pelo erro

Avaliar os prejuízos

Fazer um estudo em profundidade das possíveis causas do erro

Eliminar imediatamente as causas geradoras do erro para que não se repita

Começar imediatamente a executar o novo programa

Usar os erros como "placas de sinalização"

Lembrar que os obstáculos realçam a liderança.

IX. O princípio da Energia:

A energia é o "vigoroso exercício do poder" e "a capacidade de agir ou de ser ativo".

A.           Um líder sem energia é como um pianista sem mãos ou um corredor sem pés ou um orador sem voz. Falta-lhe a própria ferramenta de que necessita para executar a tarefa. As pessoas seguem um líder entusiasta, e é a energia que produz entusiasmo.

B.            Um líder de verdade deve transpirar energia. A primeira coisa que ele tem de fazer é conquistar a atenção daqueles que lidera. E conquistar atenção requer movimento. Movimento exige energia. O líder eficiente trabalha mais horas, lê muito, desperdiça menos tempo e, de modo geral, leva a vida muito bem. Ele transborda de energia.

C. A energia de um líder demonstrada:

Por meio da vitalidade física.

Através da acuidade mental.

Através de muito trabalho.

Através da dedicação à tarefa e sua persistência nela.

Através da atenção a pormenores.

Como Elevar o Nível de Energia

Alimentar-se adequadamente. Praticar exercícios físicos. Manter uma atitude mental correta. Eliminar as emoções negativas. Viver em comunhão com Deus.

X. O Princípio do Poder de Persistência:

Todo líder sofre pressões e problemas que podem levá-lo a desistir. Mas se Deus nos deu uma visão e estabelecemos um programa de metas, para executar a missão precisamos do poder de persistência para superar essas dificuldades.

A.           Quatro conceitos errôneos acerca da vida cristã:

1. "Como somos crentes, todos os nossos problemas estão resolvidos".

2.            "Todos os problemas que temos são focalizados na Bíblia."

3.            "Se estivermos tendo problemas, é porque não somos espirituais".

4. "Receber a sã doutrina da Bíblia resolve os problemas automaticamente".

B. O Líder sempre terá problemas e desalentos, mas Deus quer que ele persevere na busca de sua visão.

"De todos os lados somos pressionados, mas não esmagados, ficamos perplexos, mas não desesperados, somos perseguidos, mas não abandonados, abatidos, mas não destruídos." (II Coríntios 4.8,9)

C.            O poder de persistência garante o sucesso, porque vence:

As enfermidades, os desejos pessoais, as limitações financeiras, os perigos da prosperidade, a oposição da família, as traições, as perseguições, a interpretação errônea dos eventos, e as dificuldades mais graves.

D.           O poder de persistência é edificado sobre uma dedicação total à visão proposta pelo líder.

E.            Todo problema tem a sua própria solução, e, embora as soluções sejam diferentes, o segredo de todas elas é o poder de persistência. Se alguém desistir, já fracassou. Mas, se tiver poder de persistência, achará uma solução, com o auxílio de Deus. O poder de persistência garante sucesso mesmo quando todas as circunstâncias parecem estar levando ao fracasso.

F.            O líder que tem fé sabe que pelo poder de persistência ele vencerá as dificuldades.

Seja qual for a dificuldade que você está enfrentando, tenha fé em Deus, e Ele lhe dará o poder de persistência para enfrentá-la. Todos nós estamos sempre encontrando uma série de grandes oportunidades habilmente disfarçadas em situações difíceis. O poder de persistência nos permite ver grandes oportunidades em nossas situações difíceis.

Como conservar o poder de persistência:

Recordando nossa visão;

Focalizando nossas metas;

Visualizando nossas metas como se já tivessem sido alcançadas;

Relaxando

Lendo biografias

Vivendo em comunhão com Deus.

H.           Para dominar os outros princípios de liderança, é necessário estudo e prática. Mas esse princípio do poder de persistência pode ser dominado tão depressa quanto podemos ler estas palavras. Não precisamos de instrução, nem de simpatia pessoal, nem de bons laços de família, nem de amigos influentes, nem de equipe de auxiliares, nem de equipamento, nem de materiais, nem de prestígio, nem mesmo de um profundo conhecimento bíblico. Tudo de que precisamos é a vontade de fazê-lo. Não precisamos esperar até amanhã; podemos começar a pôr em prática esse princípio imediatamente. Não temos desculpas para não fazê-lo. Se Deus quer que sejamos um líder, Ele quer que tenhamos o poder de persistência. A questão é: será que temos a determinação necessária?
XI. Principio de Autoridade:

O princípio de autoridade reconhece a distinção entre a autoridade interior e a exterior. "Toda pessoa de mente, espírito e corpo normais possui as sementes da autoridade interior, alguns em maior medida do que outros. Elas podem ser desenvolvidas para o benefício das pessoas lideradas e, acima de tudo, para a glória de Deus.

A.           É uma autoridade interior que faz com que uma pessoa obtenha o respeito de outras, e por meio da qual esse líder pode exercer uma poderosa influência sobre outros por virtude do seu próprio carisma e de sua personalidade. Essa autoridade interior distingue quem a possui das outras pessoas, e é diferente da autoridade exterior.

B.            A autoridade exterior é a que leva uma pessoa a exercer influência sobre outras por virtude de símbolos ou posição. Esse tipo de autoridade depende de comitiva, de automóveis, de ser sócio de clubes especiais, e de muitos outros privilégios que dão status a quem os possui. A exterior pode ser retirada de uma pessoa; a interior, não.

C.            Características da autoridade interior:

A autoridade interior nada tem a ver com atos ou características físicas.

A autoridade interior tem muito pouco a ver com riqueza, posição social ou status.

A autoridade interior tem pouco a ver com o sucesso.

Ter autoridade interior não significa que a pessoa se acha melhor do que os outros. É, mais, exatamente, uma convicção de que pode influenciar os membros do seu grupo para buscarem atingir as metas de permanente benefício.

Um ingrediente da autoridade interior é a individualidade.

Um outro ingrediente é um senso de humildade e uma avaliação realista da autoridade pessoal do líder.

A pessoa com autoridade interior nunca é fraca, débil, ou sem personalidade. Ela tem autoconfiança e um forte senso de amor próprio.

D.           Todos os princípios da liderança são importantes, mas nem todos são absolutamente essências. Cultivar o princípio de autoridade o é. É essencial que o líder possua autoridade interior, demonstrada aos outros e use em seu benefício os símbolos da autoridade exterior que acompanham sua posição.

E.            Desenvolvendo a autoridade interior:

Descobrir a nós mesmos;

Desenvolver a autoconfiança;

Acreditar na importância da nossa missão;

Lembrar-nos de nossa relação com os outros;

Empenhemo-nos pela excelência;

Acreditemos em nosso sucesso.

F.            Ninguém deve exercer autoridade sobre outros enquanto não tiver aprendido primeiro a aceitar autoridade de outrem. Além disso, mesmo quando uma pessoa está em posição de autoridade ela deve sentir-se responsável perante os outros.

G.           A verdadeira base da autoridade espiritual:

Submissão ao próprio Deus (Tiago 4.7).

Um piedoso estilo de vida (Hebreus 13.7).

Nosso amor às pessoas (l Tessalonicenses 2.3-12).

Um coração de servo (Marcos 10.43-45).

XII. Princípio da Conscientização:

O princípio da consciência dispõe que o líder deve estar sempre consciente de sua própria liderança, controlando constantemente sua aplicação pessoal dos princípios da liderança em relação a um padrão que estabeleceu para si mesmo, de modo a atingir a excelência.

A.           Estar consciente é a base da excelência!

B.            Para destacar-se uma pessoa deve estar cônscia dos elementos que contribuem para um desempenho excelente bem como deve avaliar constantemente seu próprio desempenho em relação ao padrão de excelência que estabeleceu para si mesma.

C.            A conscientização de como se deve ser líder requer sensibilidade e uma severa autodisciplina por um espaço de tempo.

D.           O líder deve estar consciente da importância do seu papel no exercício da liderança.

E.            O líder deve estar consciente do impacto e da influência que exerce sobre a vida de outras pessoas.

F.            O líder deve estar consciente do significado da liderança:

A liderança é um esforço; a liderança é consciente; a liderança exerce uma influência especial; a liderança estabelece metas de permanência benéfica; a liderança se concentra no atendimento das reais necessidades.

G.           O líder deve estar consciente de que Deus é a fonte de tudo para ele. Precisamos contar com recursos sobrenaturais. Isso pressupõe que vivemos conscientes da presença e do poder de Deus. Embora nos sintamos indignos, não devemos nos desesperar. Nossos recursos vêm de Deus, mas devemos exercitar a fé e a disciplina para nos apropriarmos deles.

Pensamentos Finais

Edificando o Corpo:

1. Todo o Corpo se compõe de crentes-sacerdotes e todos eles devem servir. Uma pessoa só não pode ser exemplo para todos. Já que o Corpo tem dimensões coletivas e individuais, o exemplo(s) também deve ser coletivo e individual.

2. Quando entendemos a natureza da Igreja e do seu ministério transformador (discipulado), vemos claramente por que Deus quis que cada igreja local tivesse uma equipe diversificada de liderança.

3. O líder servo faz, e fazendo ele dá o exemplo.

4. O líder servo está no meio das pessoas, incentivando-as a conhecerem-no melhor.

5. O servo, através do seu serviço, equipa outros para que sirvam também.

6. A primeira responsabilidade de uma equipe leiga de liderança é ser um "corpo" que funciona. É essencial que os líderes estejam sendo o que outros membros do corpo devem ser.

7. "Todos os gigantes de Deus foram homens fracos que fizeram grandes coisas para Deus, porque se estribaram no fato de Deus estar com eles". (Hudson Taylor.)

 

Natanael Nogueira de Sousa e Kleber Paulo Santana

Esta é uma página de estudos exclusivos em nossa igreja sede. Esta exclusividade também é sua, alimente-se da palavra de Deus