Só o Senhor é Deus!
 
 

Estudo

 

O PAPEL DO LÍDER NA OBRA MISSIONÁRIA

I - MISSÕES

"mantenha as suas ferramentas prontas. Deus lhe indicará a sua tarefa." - Paul E. Holdcraft.

 

Missão = É o ato ou efeito de enviar alguém comissionado por uma igreja com o objetivo de levar aos não salvos as boas novas de salvação em Jesus Cristo.

 

Missionário = É aquele que é enviado para um país exterior com o intuito de pregar e ensinar o evangelho as pessoas não salvas.

II - O QUE O LÍDER PRECISA SABER SOBRE A TEOLOGIA DE MISSÕES

 

1. A teologia de missões e Jesus Cristo – A universalidade de Cristo é mostrada:

a) Nos pronunciamentos

  • Dos anjos - Lc. 2.10-14

  • De Simeão - Lc. 2.25-32

  • De João Batista - Lc. 3.3-6 e Jo. 1.29

b) No seu ministério

  • Com a mulher samaritana - Jo. 4

  • Com o centurião - Mt. 8.5-13

  • Com a mulher Cananéia - Mt 15.21- 28

c) Na sua pessoa

  • Cristo era conhecido como "Filho do Homem", identificando-se com a humanidade. 84 vezes a expressão é usada nos evangelhos.

  • Cristo vai julgar todos – João 5.22, 23

d) Nos seus ensinamentos

  • Sobre os gentios – Mt. 21.43; Mc. 14.9; Lc. 13.29

  • Sobre a grande comissão – Mt. 28.19, 20; Mc. 16.5

2. A teologia de missões e a natureza de Deus

a) Deus é amor (I João 4.8)- Consegue manter um relacionamento de amor universal.

b) Deus é luz (I João 1.5)- Penetra toda escuridão

c) Deus é Espírito (Jo. 4.24)- Transcende o espaço (Ele está em todos os lugares).

 

3. A teologia de missões no Velho Testamento

a) Na época dos Patriarcas – Gn. 12.3; Gl 3.1-29

b) Na época da Lei – Êx. 19.4-6

c) Na época dos Reis – I Reis 8.43, 60; Sl. 2

d) Na época dos Profetas – Is. 49.6; Hb. 2.4

 

4. A teologia de missões no Novo Testamento

a) No Evangelho – Mt. 28.18-20

b) Em Atos 1.8 –

c) Nas Epístolas – Rm. 1.8; 10.12-18; I Ts. 1.8; II Cor. 5.9-21

d) Em Apocalipse - cap. 1 a 3 (o Cordeiro está entre as igrejas da Ásia e em cidades

pagãs).

III – O QUE O LÍDER PRECISA SABER SOBRE A HISTÓRIA DE MISSÕES

. Muitos fatos contribuíram para a expansão da igreja.

 

1. Influência grega - A cultura grega era quase universal, o que significa que os missionários não tinham que passar anos aprendendo língua e cultura totalmente estranhas para poder comunicar o evangelho eficazmente.

 

2. Influência romana - A "Pax Romana" contribuiu para garantir a segurança dos missionários nas suas viagens, pois as tropas romanas patrulhavam as estradas. Também os romanos construíram muitas estradas facilitando as viagens missionárias.

 

3. Influência judaica - com a dispersão dos judeus por todo o mundo, eles levaram consigo as crenças.

 

4. A expansão da igreja no livro de Atos.

O livro de Atos começa com 120 discípulos tímidos e termina, 30 anos depois, com uma igreja cristã em praticamente todas as cidades principais do Império Romano.(Atos 2.41; 2.47; 4.4; 5.14; 5.28; 6.7; 8.6; 11.21; 13.44; 17.4; 18.8; 19.10)

IV - POR QUE O LÍDER DEVE DEDICAR-SE A MISSÕES

1. É uma obra que está no coração de Deus. (Sl. 2.8)

"Deus só tinha um filho e fez dele um missionário". – David Livingstone

2. Muitas almas ainda poderão aceitar a Cristo como salvador.

3. A volta de Jesus Cristo está próxima Ap. 22.12

V - O LÍDER E A OBRA MISSIONÁRIA

Pouca ou nenhuma divulgação da obra missionária tem sido feita nas igrejas. Há pouca intercessão pela obra e pelos missionários que estão além de nossas fronteiras geográficas.

Eis o quadro que evidencia a negligência, principalmente das lideranças, para com a obra missionária.

1. Porque as lideranças dão pouca importância a obra de missões estrangeiras?

a) Por ignorância

  • Ignorância do ensino bíblico sobre o assunto. Mc 16.15-20; At 1.8

  • Ignorância da situação espiritual do mundo contemporâneo.

b) Por deficiência na visão espiritual

  • "olhai os campos…" (João 4.35)

  • "o campo é o mundo…" (Mt 13.38)

  • "levantai os vosso olhos e vede os campos, que já estão brancos para a ceifa". (João 4.35b)

  • Uma visão espiritual perfeita permite que se enxergue as necessidades espirituais do mundo inteiro. Uma visão deficiente (miopia espiritual) só alcança até onde vão os limites nacionais, ou só até os limites familiares e pessoais.

c) Por egoísmo

  • Insensíveis aos clamores do resto do mundo, estão satisfeitos com a sua salvação pessoal e com a de umas poucas pessoas ao seu redor. Pense bem: Como você estaria agora se alguém não tivesse um dia enxergado as suas necessidades espirituais? Você teria condições hoje de encarar os missionários americanos e europeus que deram suas vidas pela evangelização do nosso país?

d) Por avareza

  • mesmo sentimento que impede as pessoas de contribuírem para a igreja, opera no coração dos líderes para gastar na obra missionária. "É melhor gastar com satisfação própria (aquisição de coisas supérfluas) do que com a obra missionária". Há mesmo quem pense ser preferível amontoar dinheiro nos bancos do que aplicá-lo na obra missionária. Eles acham que que este tipo de obra não tem retorno (financeiro).

e) Por incredulidade

  • Incredulidade quanto aos efeitos da obra missionária. "A ida do missionário não adianta nada".

  • Por incredulidade quanto ao poder de Deus para repor o dinheiro gasto com a obra missionária. "Se gastarmos com a obra missionária a igreja padecerá necessidades".

  • Por incredulidade quanto ao poder de Deus para suprir as necessidades da obra missionária. "Começaremos a obra, mas teremos de paralisá-la por falta de recursos".

2. Porque as lideranças devem dar a devida atenção à obra de missões estrangeiras?

 

a) Porque há uma ordem divina clara e absolutamente atual sobre o assunto. Mt 28.18-20- Note a ocorrência das palavras "todo", "todos", seu poder enfático e a sua abrangência.

b) Porque o plano de Deus para a igreja prevê este tipo de trabalho.

A obra da redenção humana foi planejada por Deus na eternidade e, pela parte divina, consumada por Cristo no calvário. A plena realização dessa obra está agora a cargo da igreja. Isaias 49.6 diz que Jesus seria constituído "luz dos gentios". Isto se torna realidade com a obra missionária. (Salmo 65.5)

 

e) Porque a felicidade geral do mundo depende da felicidade das nações individuais. "Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor…" Sl. 33.12 .

VI – O QUE TODO LÍDER DEVE SABER SOBRE MISSÕES

 

1. Existem dificuldades

A estimativa é de que cerca de (50.000?) missionários estão espalhados pelo mundo inteiro. Em contrapartida, há nações no mundo de hoje em que praticamente 100% da população não tem experiência do novo nascimento. Cerca de dois bilhões da população mundial são muçulmanos.

 

2. Recursos financeiros

  • Os salários são baixos.

  • Vivemos em uma época de crise e inflação absurda.

  • A responsabilidade é somente da igreja. (não há ajuda de fora).

3. Ideologias

  • Em muitos países a religião é oficial, dificultado o acesso do missionário.

4. Escassez missionária

  • Falta de experiência missionária.

  • Falta mão de obra qualificada.

5. Problema do missionário

  • Cultura variadíssima .

  • Diversidade de línguas e dialetos que o missionário terá de aprender.

VII – A ORGANIZAÇÃO DE UMA EQUIPE DE MISSÕES

1. O primeiro passo a dar é, à luz das Escrituras, ensinar a igreja o que é missões, porque a igreja deve se interessar por missões, como e quem deve se envolver nesta obra missionária.

Quais os veículos de informação que o líder deve lançar mão para este propósito?:

 

a) Os cultos de doutrina;

b) A Escola Bíblica Dominical;

c) Promovendo encontros, seminários, congressos, etc.

 

2. Formar uma diretoria bem organizada com crentes que tenham esta visão missionária e que tenham compromisso com esta obra.

 

3. Conseguir de imediato uma sala, mesmo que seja pequena. Desde que caiba uma mesa, uma cadeira e uma estante ou armário. Isto é o suficiente para começar.

 

4. Criar imediatamente um fundo para a obra missionária. Não pense em retorno financeiro. Missões é uma obrigação de todos e não um comércio. "Trabalho sem visão torna-se mercenário".

A própria equipe de missões, ficará responsável em promover cantinas, almoço, e outros meios, afim de arrecadar fundos para missões.

 

5. Organize a "salinha" onde ficará o material de missões. Cole na parede o Mapa Mundi e cartazes com frases desafiadoras, bem como versículos específicos.

Por ser um cômodo pequeno não significa que deve estar desarrumado e sujo. É uma secretaria de missões e não um porão para guardar coisas velhas e sem valor.

 

6. O líder deve dar total apoio a equipe de missões. Não faça como os fariseus que colocam fardos pesados nos ombros dos outros e não tocam nem se quer com o dedo.

 

7. Não esqueça de estabelecer um culto missionário mensal.

VIII – ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE DE MISSÕES

1. Dirigir o culto missionário mensalmente, seguindo os seguintes critérios:

  • O culto deve ser conscientizador;

  • O culto deve ser desafiador;

  • O culto deve ser um veículo de informações missionária.

 

2. Controlar as finanças de missões

 

3. Prestar relatório financeiro a Congregação.

 

4. Estabelecer critérios na escolha de candidatos à missões. Eis alguns pontos indispensáveis ao candidato:

a) Ser nascido de novo (João 3; II Cor. 5.17)

b) Conhecer razoavelmente a Palavra de Deus (II Tm 2.15)

c) Ser ativo nos trabalhos da igreja: Escola Dominical, trabalho com crianças,

evangelismo, trabalho social, etc.

d) Ter uma chamada clara de Deus para a obra missionária.

IX – O CULTO MISSIONÁRIO E A SUA LITURGIA

 

1. O motivo do culto missionário

2. Como ministrar o culto missionário

3. As responsabilidades no culto missionário

a) Cartas

b) Oração

c) Contribuição

 

4. Benefícios do culto missionário

a) Para os membros presentes no culto

b) Para os missionários.

 

 

X - O EXEMPLO DE JONAS

Introdução

O livro de Jonas conta a história da chamada do profeta para ir a Nínive, e de sua atitude quanto ao mandamento divino.

Serve de exemplo a todos os líderes chamados para o ministério, quanto a vida devocional, o serviço e a vida cristã.

1. A chamada de Jonas – CAPÍTULO 1

Este capítulo nos ensina que a chamada de Deus para o ministério é sempre feita de modo claro e com uma finalidade específica.

 

1.1 - A ordem do Senhor (v 1,2)

Deus é Senhor e tem autoridade para ordenar. Ele sempre se nos apresenta como alguém que é soberano e que nos chama para o serviço e não somente para o bem estar. Eis as ordens:

 

a) Levanta-te –Deus exige renúncia, coragem e disposição para o serviço.

b) Vai –O Senhor nos pede ação e não cobiça. O nosso galardão final, será pelas obras e não pelos discursos.

c) Pregar –A missão de todos os que foram chamados por Deus é a disseminação do evangelho. "Vai a grande cidade de Nínive e clama contra ela". (Mt. 28.18-20)

 

1.2 - A desobediência (v3)

Diante da ordem do Senhor, o vento, o mar, o peixe, a aboboreira e o bicho obedeceram (1.17; 2.10; 4.6; 7,8) mas Jonas sendo racional não obedeceu. Qual foi a atitude de Jonas?

a) Levantou-se para fugir

A o invés de rumar para o nordeste, em direção a Nínive, Jonas embarcou num navio que velejava para o oeste, cujo destino era Társis, na atual Espanha, o ponto mais distante possível da direção apontada por Deus.

Quantas vezes fugimos da nossa responsabilidade. Quantas vezes nos tornamos maus e negligentes servos. (Mt. 25.26)

b) Desceu a Jope

A desobediência sempre leva a queda. Jonas desceu a Jope, desceu para o navio, desceu para o porão do navio, desceu para o ventre do peixe, e dentro do peixe, desceu as profundezas do mar.

 

1.3 - A disciplina do Senhor (vv. 4-17)

a) Mandou ao mar um grande vento. Deus domina sobre o universo. Ele pode usar a própria natureza para nos disciplinar. Ex. fome, doenças, acidentes, etc.

b) Jonas é descoberto pelo mestre (v 6)

Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. (Pv. 15.3). Todas as coisas estão bem patentes aos olhos daquele com que temos de tratar (Salmo 139; Hb. 4.13).

c) Lançaram sortes, e a sorte caiu sobre Jonas. (v 7)

…"nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se". (Mt. 10.26).

d) Temeram, pois, estes homens ao Senhor (v 10)

O temor dos marinheiros é decorrente da confissão de Jonas. Eles perceberam que o Deus de Jonas é vivo porque disciplina o errado. Diferente dos seus deuses (Salmo 115. 4-8)

e) Deparou, pois, o Senhor um grande peixe, para que tragasse a Jonas. (v 17)

Os males que nos alcançam não são efeito de maldição hereditária ou outra coisa qualquer, e sim, conseqüências da nossa desobediência a Deus. (Dt. 28.15; Sl. 109.17).

2. A oração de Jonas – CAPÍTULO 02

O capítulo dois revela a oração que Jonas fez em seu "quarto especial". Ele agradece a Deus por ter-lhe poupado a vida, e promete obedecer à sua chamada.

 

2.1 - A situação. (v 1,2)

a) Das entranhas do peixe orou ao Senhor- O local da oração não é o mais importante e sim como oramos. Temos na Bíblia vários exemplos:

  • Ezequias orou deitado na sua cama (Is. 38.1,2)

  • Jesus orou no monte (Mt. 14.23)

  • Pedro orou no terraço de uma casa (At. 10.9)

  • Paulo e Silas oraram na prisão (At. 16.25)

  • Paulo orou na praia (At. 21.5), etc.

 

b) Na angústia clamou ao Senhor

A oração só será fervorosa se tiver motivos que levem a isso. (Salmo 61.1,2; Salmo 18.6)

c) Do inferno gritou ao Senhor

A situação em que alguns líderes se encontram é um verdadeiro inferno. Seu lar, seu ministério, sua vida financeira, etc. conseqüência da desobediência à Deus. (II Cor. 7.13,14)

 

2.2 - O desespero. (vv. 3-6)

a) Tu me lançaste no profundo, no coração dos mares.

Jonas teve a atitude correta: Reconheceu que foi Deus o autor de tudo isto que estava acontecendo. Ele não culpou os marinheiros, antes reconheceu o seu pecado diante do Deus que nos ama e nos disciplina. (Pv. 3.6; Hb.12.5-11)

b) Corrente me cercou

Jonas se sentiu aprisionado, incapaz de sair daquela situação sem a ajuda de Deus.

A desobediência no ministério nos deixa deslocados da vontade de Deus. Então começamos a sentir que nossa oração não passa do teto, nossa pregação não convence, as coisas não dão certo, todas as portas se fecharam. É como alguém acorrentado.

c) Lançado estou de diante dos teus olhos.

Jonas sentiu que sua comunhão com o Senhor chegou ao fim.

 

2.3 - O concerto. (v 7-10)

. A bonita atitude de Jonas em arrepender-se e evitar de cair no endurecimento que alguns têm caído. (Hb. 3.13)

a) Eu me lembrei do Senhor

Devemos lembrar que a atitude de Jonas no início era exatamente o contrário: Fugir de Deus e tira-lo da sua presença.

b) Mas eu te oferecerei sacrifício

É muito comum na hora do desespero fazermos votos ao Senhor, porém isto só é proveitoso quando estamos dispostos a cumpri-los. (Ecl. 5.4,5)

No entanto, oferecer sacrifício ao Senhor é uma maneira de recomeçar. Os sacrifícios que oferecemos a Deus são: Nós mesmos (Rm. 12.1); louvor (Hb. 13.15); beneficência (Hb. 13.16); Cristo (Efésios 5.2)

c) O que votei pagarei

Jonas provavelmente, em épocas passadas, prometeu obediência incondicional ao Senhor e agora não cumpriu o prometido.

Se o ministério não anda bem, tente lembrar das promessas não cumpridas. Lembre-se da falta de compromisso com o ministério que Deus lhe confiou. "Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, pratica as primeiras obras…" (Ap. 2.5)

3. A pregação de Jonas – CAPÍTULO 3

O capítulo três registra a segunda oportunidade que Jonas recebeu para ir a Nínive.

 

3.1 - E veio a palavra do Senhor segunda vez. (v 1-3)

. Deus é misericordioso e sempre nos oferecerá uma Segunda chance para recomeçar. Jonas teve a sua segunda chance, porém, não sabemos se ele teria mais outra. Muitos líderes se encontram hoje fracassados por não terem aproveitado a segunda chance. E é bom saber que o servo fiel é aquele que obedece na primeira vez.

. Deus já havia dado a mensagem: "Prega contra ela a pregação que eu te disse". Os ministros de Deus devem saber que quando Deus os comissionou, entregou-lhes também, a mensagem. (Mt. 28.20). O líder não deve se ocupar com conversas ou doutrinas de homens, que não trazem edificação. Ele deve preparar-se bem para ministrar a palavra de Deus.

 

3.2 - A mensagem a ser pregada (v 4)

"Ainda quarenta dias, e Nínive será destruída".

Pode parecer uma mensagem "dura". Mas foi com esta mensagem que os ninivitas se converteram.

O importante não é escolher mensagens que satisfaçam o ouvinte, como as caixinhas de promessas, o importante é ser fiel nas pregações da palavra.

 

3.3 - O resultado da pregação. (vv. 5-10)

  • "Os homens de Nínive creram em Deus".

  • "Perseveraram em jejum".

  • "Vestiram-se de panos de saco, desde o maior até o menor".

  • "Clamaram fortemente a Deus".

  • "Se converteram, cada um do seu caminho e da violência que há nas suas mãos."

  • "E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mal caminho".

  • "E Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria e não o fez".

4. A lição de Jonas

O capítulo quatro contém o ressentimento do profeta contra Deus.

 

4.1 - A atitude de Jonas (v 1-4)

A reação de Jonas é a mesma que tem tido alguns líderes. Vamos ver isto nos pontos seguintes:

 

a) Desgostou-se extremamente disso.

Jonas queria que Deus cumprisse aquilo que ele pregou: "Nínive será subvertida". O profeta esqueceu de levar em conta a possibilidade de arrependimento do ouvinte e o perdão de Deus.

Existem muitos líderes frustrados e contrariados com a obra porque as coisas não acontecem como ele queria. Ele se esquece que o rebanho é de Deus e não seu, e que o Senhor trabalha com cada pessoa individualmente.

 

b) Ficou todo ressentido.

O ressentimento tem levado muitos a derrota. Alguns contraíram doenças outros ficaram estressados. O líder deve saber que a sua obrigação é fazer a obra, os resultados ficam com Deus.

 

4.2 - A lição aprendida (vv. 5-11)

. fazendo uso de uma planta, de um verme e do vento oriental, Deus ensina ao profeta contrariado, que ele se debilita em colocar sua graça à disposição de todos, e não apenas de Israel e Judá.

Conclusão

O exemplo de Jonas servi-nos de alerta. Levantemo-nos para fazer a obra do Senhor. Com certeza o sofrimento por causa das intempéries da grande obra, não pode ser comparado com o sentimento de derrota e de inutilidade, conseqüente da desobediência ao chamado divino. E se formos obedientes Ele nos dará a recompensa.

 

Natanael Nogueira de Sousa e Kleber Paulo Santana

Esta é uma página de estudos exclusivos em nossa igreja sede. Esta exclusividade também é sua, alimente-se da palavra de Deus